Uma delícia de esposa

Sou casado e minha esposa é evangélica, com 45 (quarenta e cinco) anos, corpo sarado e tudo em perfeita forma, tudo durinho, seios, barriguinha, coxas, bundinha e tudo mais e quando transo com ela, esquecemos deste detalhe e vamos a diversos assuntos a quatro paredes, tendo fantasias, acabando com jatos de leitinho o que ela adora. Pois bem, quando éramos noivos ela temendo engravidar pedia para tirar meu pau na hora do gozo e fizesse em seu rosto, boca, peitos barriga ou em suas costas quando transava com ela de quatro. Sempre quis comer seu cuzinho, mas reclamava muito de dor, mas algumas vezes ela deixava e se realizava dando sua bundinha, digo até que muitas vezes ela tinha orgasmos maior quando nosso sexo era normal. Nossa vida sexual é até hoje muito intensa, mesmo com sua crentísse. Pois bem fantasias eram intensas, como eu comendo suas amigas ou ela dando para amigos ou até um ménage, mas nunca saiu das fantasias.
Numa oportunidade tive de viajar para o exterior por uns 15 (quinze) dias, mas mantinha contado diários, com ela e meus filhos. O fato é que nas sextas-feiras, meus filhos vão a casa de seu namorado e namorada e minha esposa fica só. Liguei na sexta-feira e conversando com ela, nosso papo foi interrompida pela campainha de casa, quando retorna a conversa ela vem com um amigo de longa data, trazendo-o ao vídeo também. Conversamos por longo tempo, mas como o fuso horário é de mais de 05 (cinco) horas para o pais onde estava fico cansado e me despeço deles, mas antes peço a minha esposa para que se desculpe com o amigo e o mande embora. Como disse ela é evangélica e acreditava que seria um bom motivo para crer em minha esposa. Tempos após descobri que ele, meu amigo, também era daquela crença religiosa.
Passados os dias retornei de viajem numa quinta-feira e no aeroporto estava minha esposa a minha esperar. Entramos no carro e conversamos sobre minha viajem que fora híper satisfatória e que teríamos um retorno fantástico com a importação dos produtos que viriam.
Chegamos em casa e cumprimentei meus filhos e como já de costume eles no dia seguinte, foram para a casa de seu namorado e namorada, ficando eu e minha esposa cheios de amor para dar. Transamos muito e, nessas conversas, ela me perguntou se “comi” alguma garota estrangeira, respondi que vontade não faltou, mas realmente não houve tempo para namorar, foi quando ela num ar de suspiro se pôs a chorar. Já havia dado a primeira nela e gozei muito, enchendo de esperma sua xaninha, mas me surpreendi com aquele choro e até me assustei. Foi quando ela num ar de culpada passou a me confessar o que havia acontecido naquele dia em que meu amigo veio visitar. Fiquei assustado mas sabendo e imaginando que havia acontecido algo imperdoável.
Diante de tal situação, mandei ela dizer tudo pormenorizadamente, foi quando ela se abriu e confessou que havia me traído.
Disse que logo que desligou a vídeo chamada e, estando prestes a dormir meu amigo a convidou para sair. Ela disse que já se fazia tarde, mas após uma conversa ele a convenceu em ir jantar, só que acreditava em ir a um restaurante, mas não, ao entrar em seu carro foram a seu apartamento o que deixou um tanto assustada. Insistiu meu amigo dizendo para ficar tranquila que o assunto seria mais religioso enquanto degustavam a pizza.
Realmente diz ela que os assuntos eram religiosos, mas que em determinado momento passaram a conversar mais intimamente. Ele a surpreendeu dizendo que sempre a viu com “bons olhos” e que numa oportunidade chegou até comprar um conjunto de “lingerie” para presenteá-la, e como faltou oportunidade havia guardado em seu guarda-roupa, minha esposa logo replicou dizendo que, era assim que fazia com as outras, não acreditando naquela versão. Ele disse que era verdade e que fez aquilo numa oportunidade em que se separou de sua esposa, já que a ex deixava sua filha pequena em nossa casa para sair em suas aventuras amorosas, momento em que foi buscar o conjunto em seu quarto. Em mãos entregou aquela vestimenta intima e pediu para vesti-la, recebendo como resposta a negativa, implorou ele para que aquilo o fizesse, pois respeitaria suas exigências de manter distância. Minha esposa pedindo para esquecer resistiu, mas novamente meu amigo implorou, mais uma vez ela disse que poderia até vestir, mas por favor, não se aproximasse dela enquanto vestida naqueles trajes íntimos. Ele a levou ao banheiro e lá se trancou para vestir a calcinha e o sutiã de renda que notou deixar seus seios um tanto à mostra. Parou pensou, e lembrou dos lances aos quais fazíamos amor e nossas fantasias a enchiam de tesão, e fato verídico ela estava também muito excitada, tendo talvez a única oportunidade de conhecer outro homem a penetrá-la, inclusive naquele momento teve de se limpar, pois sua xaninha estava encharcada. Vestiu os trajes, mas não conseguiu acertar corretamente as alças que regulavam os encaixes dos seios, deixando meios que soltos, mas como disse seus peitos eram durinhos e disfarçavam o acerto. Saiu da toalete e ele, num olhar emocionado disse que estava perfeito e estavam ainda da forma que sempre sonhou em vê-la, ela agradeceu e disse que não conseguiu ajustar da forma correta, quando ele então se aproximou e disse que faria tais ajustes, indo por trás e passou a mexer nas alças. Aos poucos foi se soltando e passou a sentir seu pênis encostar em sua bunda, pedindo a ele para não fazer o que estava a prestes acontecer. Suas mãos saíram das alças de ajustes e foram a frente, passando em seus seios e da mesma forma suspirando em seu ouvido dizendo que seu sonho estava para acontecer, virou-a e passou a beijá-la, neste momento, mostrando-se carente não ofertou mais resistência, deixando por acontecer o que realmente ele queria. Foram aos beijos e passadas de mão, tanto por ele em seus peitos e bunda, como ela em seu pau à suíte atrás de sexo. Deitaram na cama e após as preliminares, foi tirando aquela roupa que havia ganhado, ficando completamente nua, passando ele a chupa-la toda e ela respondido num sexo oral a qual sabe de forma hábil fazer, passou a introduzir seu pênis em sua vagina, sentindo que aquele membro era um tanto maior ao que estava acostumada, ou seja, era maior que o meu e diferente, um tanto gostoso o que a arrombava.
Passaram a fazer sexo em várias posições demonstrando já estar familiarizada e entregue a aquele homem que vira e mexe a enchia de esperma onde entrava. Horas e horas se passaram e da noite se foi a madrugada com gozos e gozos seguidos tanto pela frente como por trás e num dado momento extasiados ela debruça em seu peito e passa a conversar romanticamente, dizendo que adorou o sexo anal com ele, feito com maestria, pois comigo era um tanto rápido, o que causava uma relação incomoda e doloridas. Confessou que tinha uma relação muito boa comigo e sobre as fantasias que fazíamos, inclusive com ele sendo o terceiro.
Após transar muito ele a leva para nossa casa logo na manhã, comprando inclusive a pílula do dia seguinte, já que a quantidade deixada de esperma foi muito grande e tinha medo de engravidar e que chegando foi ao banho e debaixo d´agua passou a se lembrar de todos os lances tidos com nosso amigo naquela noite e confessou que debaixo do chuveiro passou a se masturbar, onde teve outro orgasmo. Neste momento estava com meu pênis como uma rocha e transei com ela perguntando se ela havia gostado mais do meu pau ou dele e ela respondia que são ótimos e que seria melhor se nós três fizéssemos juntos, pois com certeza os três ficaríamos extasiados.
Colocamos em prática nossos desejos e num dado final de semana, liguei ao meu amigo perguntando o que estava fazendo. Disse ele que estava na casa de praia e um tanto ressabiado tentou se esquivar do encontro. Perguntei se podíamos ir visita-lo, foi quando ele respondeu que sim.
Já era início de noite e fomos a sua casa no litoral a cerca de 70 Km de distância. Fomos recebidos como se nada havia acontecido. Minha esposa estava alegre e logo de início deu um beijo do tipo selinho nele e em dado momento pediu para que fosse ao restaurante ao lado e nos trouxesse a refeição daquela noite. Pois bem, atendi e entendi seu pedido, retornando a casa cerca de 40 minutos após e espiando pela janela os dois trocando beijos ferventes e carícias, adentrando, notei que ele já estava sem camisa e com a bermuda meia que aberta na região de seu pênis o que levou a crer que minha esposa já havia feito um boquete nele. Minha esposa estava com os seios um tanto que fora da posição normal do sutiã e umedecidos, o que levou a crer que ele já havia dado uma boa mamada. Coloquei a refeição na mesa e minha esposa abriu a conversa dizendo com suas palavras: “amor contei a ele que confessei o que havia acontecido entre nós e que você se conformou em ter sido traído e que estávamos ali para colocarmos nossas fantasias em pratica”. Meu amigo por sua vez disse que eu era um sujeito sortudo por ter uma esposa gostosa e deliciosa e que não seria justo ter um mulherão desse com um homem só. Confesso que nem degustamos a janta, levantando e tirando minha esposa da mesa e abraçando-a de frente, chamando meu amigo para abraça-la por de trás fazendo um sanduiche dela. Neste instante, ela me pede: Amor aguarde um instante que eu e ele vamos conversar, depois de quinze minutos vá ao quarto e se junte a nós. Ela indo mandando um beijo a mim e de mãos dadas a ele se dirigindo ao quarto com aquela boquinha de safada, mordendo os lábios. Foram ao quarto e lá passaram a se deliciar em longos beijos e gemidos, eu não resistindo e de pau duro segui logo, vendo minha esposa recebendo um “malho” e após grandes chupadas ela passa a cavalgar em meu amigo, dando de quatro e levando muito leitinho em sua boceta. Saiu da cama e se deu de frente comigo, quando diz: Amor vai a cama e já volto, pois será a vez dos dois me possuírem. Deito na cama, meu amigo do lado brinca comigo: Cara sua esposa é gostosa demais!
Logo ela volta do banho rápido e tira a toalha expondo aquele corpo sedento de sexo, e se deita entre nós. Pronto amores, agora sou dos dois. Façam o que quiser comigo, sou a puta dos dois! isso uma Crente dizendo. Passa a me beijar e também a meu amigo em dado momento quando me beija, sinto ela arrebitar sua bunda e dar um suspiro, momento em que noto meu amigo penetrando seu pênis em seu cuzinho, brinco com ele? Só você? Eles riem, ato contínuo, a mando sentar para cavalgar em meu pau, sinto que sua xaninha estava melada ainda cheio de porra, mas coloco mesmo assim e meu amigo logo vem por de trás dela colocado em sua bunda, fazendo a DP e movimentos de entra e sai as rolas em sincronismo perfeito. Minha esposa vai ao delírio gozando por várias vezes e gritando que estava sendo a mulher mais fodida da história. Voltou aos tempos de escrava primitiva, onde a mulher era toda abusada e possuída. Ficamos usando ela por todos os dias a que estivemos lá, comia ela na sala, na cozinha, no banho, no quarto, assistindo filmes e o melhor ela não reclamava de nada e chupava muito nossos cacetes. Parecia uma puta que ao final do expediente receberia sua comissão.
No sábado depois de ambos comê-la o dia inteiro, saímos a noite para caminhar na praia já que fazia muito calor (35 Graus) e já era tarde, quando andando os três de mãos dadas pela praia, falando besteiras e mais besteiras, em dado momento parei, virei ela pra mim e a beijei, como ela estava com o vestido tomara que caia, logo brincando baixei, fazendo ela tomar um susto e seus peitos duros pularem para fora do vestido com os biquinhos durinhos, meu amigo deu risada e passou a chupar seus seios, não vimos outra alternativa senão me deitar e ela sentar em meu pau e meu amigo indo por de trás agachado com sua bunda arrebitada colocou em seu cuzinho, que já estava arrombada por nós dois de tanto fodê-la, fomos ao delírio e mais uma vez minha esposa foi usada como um instrumento sexual, sendo vista por casais que passeavam naquela noite, fazendo rirem de prazer e tesão, seguindo nossa ideia. Notei após, mais de 5 (cinco) casais metendo também, fazendo suas mulheres gemerem e gritarem de prazer. Metemos muito nela. Certos de que com a escuridão não fomos e não identificamos ninguém, mas eram muitos gemidos. Minha esposa depois de várias sessões de amor, entrou na praia meio que tonta de tanto dar e se lavou primeiro com agua salgada, para tirar a porra que tinha tanto na bunda como na sua xaninha. Ao sair nua da praia, antes de se vestir, ela diz: PQP, vocês são fodas! Tomou outro banho na casa, acompanhada por nós no chuveiro, encochada, ambos de pau duro.
Infelizmente chegou a tarde de domingo e meu amigo quis dar a última nela. Enquanto estava assistindo o jogo de futebol ouvia os gritos e gemidos de minha esposa no quarto, felizmente a casa ao lado estava vazia, pois senão ouviriam o clamor sexual daquela esposa possuída por sexo.
Nossas malas já estavam prontas, ela terminou a metida e foi ao banho e ao se despedir deu um beijo em nosso amigo pedindo para não esquecer deste final de semana. Ele pediu: voltem sempre que quiserem, vou arrumar uma namorada para fazer isso em quatro, vou ceder a seu marido uma deliciosa garota e você fica comigo a noite inteira, ela respondeu: faça isso!
Fomos embora e durante a viagem de retorno ela dizia que jamais imaginava ser comida da forma que foi, por dois verdadeiros tarados que não deram sequer minutos de trégua, era cada vez um e que gostaria de ver se fosse ao contrário, eu com ela e outra mulher? Respondi, vamos ver e fazer, era só trabalhar para aquilo acontecer.
Disse ela que sua amiga Solange (uma libanesa gostosa pra caralho), já havia investigado com ela sobre a possibilidade de transarmos juntos e que por eu ser grande, queria conhecer minha pica (20 cm x 5). Respondeu a ela que iria ver estrelas e a deixou com tesão e esperançosa.
Contou que havia perdido as contas das transas que tivemos naquele final de semana, mas foram por mais de 30 (trinta) vezes, naqueles dois dias, pela frente e por trás, de manhã, a tarde , noite e madrugada e que estava sentindo sua buceta e o cuzinho ardendo e que muita porra rolou dentro dela e que eu teria de dar uma semana de descanso. Comprei novamente outra pílula do dia seguinte. E que em se tratando de satisfação sexual ela havia chegado ao extremo. Concordei! Só que ao chegar em casa esqueci do combinado e comi sua bunda mais uma vez, para mostrar que havia aprendido a meter no seu cuzinho o que gostou e mais porra rolou. Antes, porém, notei que seu buraquinho estava avermelhado e bem arrombado, sem as preguinhas naturais e que só o tempo as trariam de volta. Hoje transamos e em nossas transas ela diz que não se trata mais de fantasias, mas sim de verdadeiros fatos consumados, dizendo em nossas metidas ainda: Lembra de quando ele metia e eu chupava seu pau? Lembra de quando você metia e eu chupava o cacete dele? Lembra de quando os dois metiam em mim (DP)? Lembra de quando metemos na praia? Faz várias lembranças de quando foi possuída por dois machos! Isso aumenta muito o tesão.
Ela por sua vez, até parou de frequentar a igreja, por completo descabimento, até porque havia virado naquela noite, uma Puta. Prefere hoje transar muito ao invés de ir a igreja. Hoje transo com ela de todas as formas e a meses não vemos meu amigo, que sempre liga dizendo para irmos até sua casa, dizendo ainda, que sua namorada quer me conhecer.
Minha mulher não dá atenção entende que bastou aquela vez para melhorar nossa relação, dizendo para esperar o dia certo. Agora levo ela em minhas viagens, para que não ocorra novamente uma traição.
Conversa também na hora da nossas transas, que já falou com Solange e está marcado com ela o dia apropriado para outra fantasia a ser realizada, ela (amiga) está convencendo seu marido que quer ver ela ser comida por mim, dizendo ela, ter ele um pau pequeno (10 cm), querendo ela uma rola de arrobar sua buceta e cuzinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *